quinta-feira, 22 de agosto de 2013

AVALIADOR DE IGREJAS VISITA TEMPLO RELIGIOSOS PARA “AVALIAR SECRETAMENTE EXPERIENCIA DE ADORAÇÃO"

A utilização de consultores disfarçados de clientes para avaliar o atendimento em lojas e empresas é um conceito utilizado há muito tempo no mundo corporativo, que agora começa a ser usado também em igrejas. A ‘Secret Church Shopper’ é uma empresa que fornece esse serviço, e tem como objetivo transformar as igrejas em “Igrejas 5 estrelas”, como afirma em seu site.
Thomas Harrison, fundador da empresa, concedeu recentemente uma entrevista à CBN News explicando que a Secret Church Shopper viaja por igrejas de todo o país para “avaliar secretamente experiências de adoração”. De acordo com Harrison, após a visita, que acontece sem aviso prévio e é feita por um funcionário “à paisana”, um relatório é entregue ao pastor que contratou seus serviços.
Os “clientes secretos” enviados às igrejas fazem uma avaliação do culto, da atitude congregacional, saudação e hospitalidade, segundo a empresa, que afirma observar a congregação, porteiros, recepcionistas e ministros da igreja, como um convidado comum.
Harrison conta ter vivido as mais diversas experiências nas igrejas visitadas, e afirma que os dados levantados durante a visita são utilizados pelos pastores “para ajudar a igreja a melhorar”. A avaliação é baseada no ‘The Five Star Church’ (A Igreja Cinco Estrelas) um livro que, segundo ele, é dedicado à excelência cristã.
O avaliador de igrejas conta que durante os anos em que se dedica a essa atividade, uma história se destacou.
- Durante momento de comunhão, quando todos estavam apertando as mãos uns dos outros, uma mulher atrás de mim se inclinou por mim para apertar a mão de uma mulher na minha frente, e não disse nem mesmo um ‘olá’, ‘você está no meu caminho’, ou qualquer outra coisa. Então, eu me senti abandonado. E enquanto todo mundo estava apertando as mãos, eu fiquei ali, sozinho e de pé. – relatou, afirmando que sempre presta muita atenção à forma como os membros da igreja cumprimentam e tratam os “clientes”.
- Houve ocasiões, honestamente, onde entrei no local com um culto animado, mas ninguém falou comigo – completou.
Thomas Harrison afirma ainda que costumam atender igrejas de todos os tamanhos, “de 100 ou 10.000 membros”, e que sua atenção aos detalhes só não é maior que seu coração voltado para ajudar igrejas melhorar e alcançar mais pessoas com o evangelho.

 Fonte:Noticia gospel

domingo, 11 de agosto de 2013

TIPOS DE SATANISMO



Satanismo é a adoração de Satanás e o uso da feitiçaria com intenções malignas. Hoje, grande parte das pessoas que pertencem ao movimento satanista declaram-se neopagãos. Na cosmovisão dos neopagãos, os cristãos distorcem o desenvolvimento da humanidade ao enfatizar o domínio do intelecto sobre outros aspectos da psique humana. Os neopagãos afirmam que os seres humanos devem viver em harmonia com a natureza e não subordinar vontade e emoções a Deus.
O “Hell Fire Club”, criado no século 18, por Sir Francis Dashwood, foi o primeiro culto satânico a ser declarado publicamente.
O Satanismo tem sido considerado uma nova moda mundial, principalmente na Europa, e com seu crescimento, também crescem os crimes envolvendo o satanismo e seus adeptos.
TIPOS DE SATANISMO
Podemos classificar o satanismo e suas seitas de adoradores em três tipos:
1)    Seitas Luciferanas – Veem Lúcifer como símbolo do conhecimento e da sabedoria, sendo, portanto, a verdadeira luz busca o dinheiro.
2)    Seitas Satanistas – Consideram-se seguidores do verdadeiro satanismo, o satanismo tradicional.
3)    Adoradores de Set – Grupo cujo envolvimento com diversos crimes tem sido comprovado em todo o mundo.
São conhecidos por violências e em alguns Países foram acusados de promover rituais satânicos e de organizar redes de pedofilia.
É comprovada a participação de membros da CIA, FBI, Marinha, Serviço Secreto e outros setores militares entre seus membros.
Nós, evangélicos pregamos que a libertação da sujeição aos demônios envolve a confissão de fé do indivíduo em Cristo como Senhor e Salvador, a confissão e o arrependimento por seu envolvimento com a prática da idolatria, feitiçaria e ocultismo e o recebimento da libertação que se pode achar em Cristo. É importante entender que "a ênfase dada à libertação da possessão através do poder operante de Jesus Cristo deve ser coerente com os ensinamentos do Novo Testamento e não refletir, de modo algum, os abusos e superstições associados com a Idade Média" S. E. McClelland, Demônio e possessão demoníaca, in Walter A Elwell, Enciclopédia Histórico Teológica da Igreja Cristã, SP, EVN, 1993, pp.405-408.
"Tornou pois Jesus a dizer-lhes: Em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram. Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. O ladrão [o diabo] não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância. Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas. Mas o mercenário, e o que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas e foge; e o lobo as arrebata e dispersa. Ora o mercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas. Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido" Jo. 10.7-14.

Dc. Rinaldo Santana


sábado, 10 de agosto de 2013

O DEUS QUE SUPRE AS NECESSIDADES



Introdução: "O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus”. Que promessa é esta, de que Deus supre todas as nossas necessidades? Aplica-se ela a  todos ou a alguns? Em busca de uma resposta, precisamos ler o paragrafo todo, a partir do versículo 14: "Apesar disso, vocês fizeram bem em participar de minhas tribulações. Como vocês sabem filipenses, nos seus primeiros dias no evangelho, quando parti da Macedônia, nenhuma igreja partilhou comigo no que se refere a dar e receber, exceto vocês; pois, estando eu em Tessalônica, vocês me mandaram ajuda, não apenas uma vez, mas duas, quando tive necessidade. Não que eu esteja procurando ofertas, mas o que pode ser creditado na conta de vocês. Recebi tudo, e o que tenho é mais que suficiente. Estou amplamente suprido, agora que recebi de Epafrodito os donativos que vocês enviaram. É uma oferta de aroma suave, um sacrifício aceitável e agradável a Deus. O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus”.
"MEU DEUS". O Deus da Bíblia é um Deus pessoal, embora não privatizável. Paulo fala a partir de sua experiência pessoal, de quem teve suas necessidades supridas por este Deus. Paulo não está só: a expressão aparece 136 vezes na Bíblia. No caso específico dos filipenses, eles agiram por causa da graça que os alcançara. Eles agindo era Deus agindo. É assim que devemos pensar em Deus: meu Deus, meu Senhor, meu Pai. Um Deus pessoal quer dizer um Deus que se relaciona. Podemos falar com Ele. Podemos ouvi-lo falar conosco. Podemos crer num Deus inefável, ou num Deus afável. Podemos crer num Deus distante, ou num Deus próximo. O Deus inefável e distante não pode fazer nada por nós. O Deus afável e próximo é o Deus que, de fato, existe, como revelado por Jesus Cristo. Há um único Deus, mas Ele se relaciona conosco individualmente, o que quer dizer que se revela a nós como nós somos, no lugar onde estamos no modo como nos sentimos. Só precisamos estar atentos.
O DEUS QUE SE APRESENTOU A MOISÉS DIZENDO “EU SOU O QUE SOU”
       I.            Jo. 4.26 – Eu o sou, eu que falo contigo
     II.            Jo. 10.9 – Eu sou a porta
  III.            Jo. 11.25 – Eu sou a ressureição e a vida
  IV.            Jo . 14.6 – Eu sou o caminho a verdade e a vida
"SUPRIRÁ". Deus é ativo. Onde há uma necessidade, Ele entra em ação. Ele tira dos seus depósitos os dons que reparte. E seus depósitos são inesgotáveis. É com o verbo "suprir" que Ele sustenta o universo. É com este verbo que Ele supre a cada um de nós. Suprir é encher de novo; é acrescentar o que falta. Deus faz mesmo isto conosco. Quando o povo de Israel peregrinava pelo deserto, para suprir suas necessidades de água, Deus fez ela brotasse e jorrasse em torrentes de uma rocha. Mesmo assim, pouco depois o povo perguntou: nosso Deus "conseguirá também dar-nos de comer? Poderá suprir de carne o seu povo?” Sl. 78.20. Que não tenhamos a mesma atitude dos hebreus antigos. Precisamos saber que "Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come também lhes suprirá e multiplicará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça" 2Co. 9.10.
"NECESSIDADES". Que necessidade Deus supre? Todas? Que são necessidades? A tecnologia vem colocando a cada dia mais e mais produtos diante de nós. Um exemplo disso é o telefone celular, que se tornou uma "necessidade" até para crianças. Todo adolescente que não tem um se sente um pouco fora do mundo. Daqui a pouco chegará ao Brasil a televisão digital e passará a ser também uma "necessidade" para todos os que durante meio século viram apenas tevês analógicas. Durante as primeiras sete décadas do século 20 os brasileiros podiam fazer carreira tendo apenas o segundo grau; nos 20 anos seguintes, era necessário ter um curso superior; de dez anos para cá é indispensável a pós-graduação. O mercado (entendido como consumo e costumes) vai impondo novas necessidades, mas serão mesmo necessidades? Esta é uma área literalmente movediça. Todos têm necessidades de segurança. Logo, precisamos de casas para nos abrigar das intempéries, das feras e dos ladrões, não de mansões, mas o que uns consideram ser uma mansão outros a terão como uma simples casa... Todos têm necessidade de saúde. Logo, precisamos de alimento que nos nutram, não de pratos criativos e caros, mas não nos contentamos apenas com a dimensão nutricional do alimento; queremos que sejam limpos, bonitos e sofisticados. Todos nós temos necessidade de pertencer, o que explica parcialmente a existência da família, dos clubes e mesmo das igrejas. Para ser aceita num grupo, uma pessoa é capaz de se submeter a regras que vão contra os seus mais caros princípios. Todos têm necessidade de ser amado, o que faz com que alguns mantem como prova de amor...  Todos temos necessidade de auto realização, o que leva alguns a se tornarem escravos do poder ou do dinheiro. Essas necessidades básicas vão se confundindo com necessidades secundárias, que se tornam primarias, num círculo sem fim.
"Nós precisamos lembrar a diferença entre desejos e necessidades. A maioria das pessoas deseja sentir-se bem e evitar a todo custo o desconforto e a dor. Poderemos não conseguir tudo o que desejamos, mas Deus proverá para nós tudo aquilo de que necessitamos. Confiando em Cristo, as nossas atitudes e desejos podem mudar. E, em vez de desejarmos todas as coisas, aceitaremos a sua provisão e poder para viver para Ele" (Bruce Barton).
A que necessidades Deus supre? Só temos um caminho para resolver o impasse. Deus nos supre as necessidades que Ele considera como sendo necessidades. Nós confundimos desejos com necessidades; Ele, não. Deus, então, supre as necessidades que passam pelo seu crivo. Ele sabe do que precisamos; do que não podemos viver sem e nos supre. Segundo aprendemos na Bíblia, "os leões podem passar necessidade e fome, mas os que buscam o Senhor de nada têm falta" Sl. 34.10. Por isto, "aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade"  Hb.4.16.
"DE ACORDO”. Ele nos supre "de acordo" com suas riquezas em glória. Imagine um homem muito rico. Você tem uma causa nobre e lhe pede uma doação. E ele lhe dá cinco reais, na verdade, uma esmola em função dos recursos que tem. Ele lhe deu DAS suas riquezas, mas não DE ACORDO COM suas riquezas. Se ele desse DE ACORDO COM suas riquezas, seria uma doação muito mais generosa Para entendermos melhora, lembremo-nos que a viúva pobre foi louvada por Jesus porque deu DE ACORDO COM suas riquezas; no caso, tudo. Deus nos dá DE ACORDO COM suas riquezas. Deus nunca nos dá uma esmola. Ele não nos dá de acordo com o que pedimos, mas DE ACORDO COM as suas riquezas, que vão além do material e do físico, para que olhemos para suas bênçãos espirituais. Por isto, "bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo" Ef. 1.3. essa é a suprema garantia da providencia e da suficiência divina.
GLORIOSAS RIQUEZAS. Podemos falar sobre cinco tipos de riquezas divinas.
1. A riqueza da graça Ef. 2.7. Abundantes riquezas da graça. É disponível para todos aqueles que se reconhecem pecadores e confessam os seus pecados. A graça se expressa em perdão e purificação.
2. A riqueza da bondade divina disponível para todos os seres humanos.  Sl. 34.8; Deus é bom, e a sua bondade permanece para sempre. Sl. 52.1
3. A riqueza da Gloria Cl. 1.27, As riquezas da sua gloria estão além da nossa compreensão Ef. 3.20, é em gloria que ele supre todas as nossas necessidades.
4. A riqueza incompreensível Ef. 3.8. Conhecemos a moeda do nosso país e até de outros países, mas a moeda do céu ninguém conhece, mas quando você necessita Deus libera para você coisas incompreensíveis.
5.  A Riqueza de sabedoria  e ciências Cl. 2.3, Tg. 1.5
CINCO NECESSIDADES QUE DEUS PODE SUPRIR
1. Necessidades Espirituais
a)     Fé, Hb. 11.6
b)    Esperança Is. 40.30,31, Rm. 8.24,25
c)     Amor Jo. 3.16
2. Necessidades Psicológicas
a)     Amizade
b)    Segurança
c)     Sucesso
3. Necessidades Sociais
a)     Companhia
b)    Solidariedade
c)     Proteção
4. Necessidades Físicas
a)     Saúde
b)    Vigor
c)     Descanso
5. Necessidades Financeiras
a)     Suficiência
b)    Prosperidade
c)     Abundancia
Conclusão: Quando buscamos satisfazer nossas necessidades através de nossos relacionamentos humanos, encontramos muita decepção. Mas, Devemos em primeiro lugar buscar o suprimento nossas necessidades em Deus. Ele é, ele pode, ele sabe, ele tem, ele diz, ele faz e ele quer.

DC: RINALDO SANTANA 

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

DUPLA GAY RECORRE AOS TRIBUNAIS PARA FORÇAR IGREJAS LHE REALIZAR CERIMONIAS DE "CASAMENTO"

De acordo com o WND, Barrie e Tony Drewitt-Barlow, uma dupla gay da Inglaterra, querem “se casar” dentro de uma igreja cristã e não estão poupando esforços para realizar seu desejo: Eles entraram na justiça para obrigar sua igreja local a fazer sua cerimônia religiosa de “casamento.”
Dupla gay Barrie e Tony Drewitt-Barlow
A empolgação deles pode ter sido fortalecida pela recente vitória dos ativistas gays ingleses, que viram o governo da Inglaterra e sua rainha aprovarem o chamado “casamento” de mesmo sexo.
A vitória foi ainda maior porque ocorreu sob a intervenção do primeiro-ministro David Cameron, do Partido Conservador. Isto é, desta vez o movimento homossexual não precisou de partidos e líderes políticos esquerdistas no poder para cumprirem as exigências da agenda gay.
De nada adiantou os ingleses votarem no Partido Conservador para proteger suas famílias contra os ataques da esquerda. No final, tudo deu no mesmo. O Partido Conservador, bichado pelo esquerdismo, entregou de bandeja aos militantes gays o que qualquer esquerdista faria.
Mas, diferente da esquerda em geral, o Partido Conservador teve o cuidado de adicionar na lei de “casamento” gay uma cláusula isentando as igrejas. A cláusula diz que as igrejas não podem ser forçadas a realizar “casamentos” de mesmo sexo.
Ah, os ativistas gays adoram “proibições”! Com a fanfarra do apoio descarado da mídia a tudo o que eles exigem, uma proibição funciona apenas como bandeira vermelha na frente de um touro furioso, com a mídia gritando: “Vai pra cima e mata o toureiro ‘homofóbico!’”
Essa cláusula, último e débil recurso de um conservadorismo que está pronto para hastear a bandeira branca da rendição diante do inimigo, se parece muito com a estratégia de uns vinte anos atrás, quando os ativistas gays reivindicavam no Brasil o “direito” à união civil, deixando claro que não queriam de forma alguma adoção de crianças nem casamento.
Mas logo que se firmam numa etapa, passam para outra. De etapa em etapa.
Depois de conquistarem o casamento civil, partem para cima da adoção de crianças e agora, sua coroa máxima de conquista: o casamento na igreja.
E quanto à pedofilia? Os ativistas gays garantem que nunca vão querer o direito de sexo entre homens e meninos — pelo menos não na etapa atual.
O caso da dupla gay Barrie e Tony Drewitt-Barlow é mais uma prova da insatisfação eterna dos adeptos do sexo fecal.
A lascívia fecal não tem limites em seus desejos e exigências.
Barrie disse que embora os ativistas gays estejam comemorando a lei inglesa que agora obriga os cartórios a realizar o casamento civil para eles, ele não ficará satisfeito até ver também uma lei obrigando as igrejas a lhes dar o casamento religioso.
Barrie, que é descrito pelo jornal Daily Mail como um gay milionário, está determinado a usar uma pequena parte de sua fortuna em pesadas ações legais até as igrejas serem judicialmente obrigadas a atender à sua vontade.
Ele disse: “Precisamos convencer a igreja de que é a coisa certa para nossa comunidade nos reconhecerem como cristãos praticantes.”
“Sou cristão — um cristão praticante. Meus filhos foram todos criados como cristãos e são parte da paróquia local,” disse Barrie, de 42 anos. Ele tem uma empresa de barriga de aluguel com sede em Essex na Inglaterra e com uma filial abrindo nos EUA. Ele também disse: “Se eu fosse da religião Sikh eu poderia me casar na Gurdwara. Os judeus esquerdistas podem se casar na sinagoga — só os cristãos é que não podem.”
Ele disse que “o único jeito de avançar para nós agora é ir aos tribunais com ações legais contra as igrejas.”
“É uma vergonha que sejamos forçados a levar os cristãos aos tribunais para fazê-los nos reconhecer,” disse ele. “Fico transtornado por não ter o que quero — uma grande e esplêndida cerimônia…”
Antes da aprovação do “casamento” gay na Inglaterra, líderes cristãos avisaram o primeiro-ministro e seu Partido Conservador que o plano do Parlamento inglês de redefinir o casamento provocaria problemas legais.
Eles também disseram que redefinir o casamento “alteraria a natureza intrínseca do casamento como a união de uma mulher, conforme está consagrado nas instituições humanas em toda a história.”
A igreja cristã inglesa mais afetada seria, no ataque inicial, a Igreja Anglicana. Mas não se pode pensar que os assuntos da Igreja Anglicana não afetam os assuntos de outras igrejas protestantes. Na década de 1930, a Igreja Anglicana da Inglaterra permitiu o uso do controle da natalidade, prática que era proibida em todas as outras igrejas protestantes.
Depois que a Igreja Anglicana cedeu diante da filosofia do controle da natalidade, todas as outras igrejas protestantes imitaram. E hoje a heresia anglicana é prática comum das igrejas evangélicas.
Se a Igreja Anglicana ceder à realização de uma cerimônia de “casamento” exigida por uma dupla gay milionária, as outras igrejas que se preparem.
Com informações do WND.