sábado, 7 de fevereiro de 2009

O FILHO PRODIGO

A parábola do filho pródigo Lc 15.11-32 foi muito apropriadamente de o “Evangelho dentro do Evangelho” e “a coroa e a pérola” de todas as parábolas do Senhor Jesus Cristo, por causa de seu lúcido retrato da verdade evangélica. Em resposta as murmurações dos escribas e fariseus 15.1,2, Cristo estruturou uma parábola em torno do costume Judeu pelo qual um pai podia designar suas posses aos herdeiros ainda em vida. Na verdade ele podia fazer a partilha ainda em vida ( cf o filho mais novo 15.12-20), ou podia entregar posse mas reter o direito ao usofruto ( cf. o filho mais velho , 15.31).
As atitudes e os atos dos personagens da parábola descrevem as varias facetas do evangelho:
1
– O filho mais novo 15.12-20, isto é, os coletores de imposto e os pecadores recebidos por Jesus ;
2 – A alegre e entusiástica recepção do pai pelo retorno do filho pródigo 15.20-24;
3 – O desgosto e amargura do irmão mais velho 15.25-28, isto é, a murmuração, o descontentamento e a pobreza espiritual dos escribas e fariseus, que acreditavam que a salvação era uma questão de obras meritórias e de piedade aparente. Poderíamos talvez dizer que havia dois filhos pródigos!

Fonte
Dicionario Biblico Wycliffe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro Visitante, seu comentário será apreciado e sua opinião respeitada, no entanto, este blog se reserva o direito de não publicá-la, caso a considere difamatória ou ofensiva.

Postar um comentário